Enfim, segundo trimestre!

Yeay!

E para comemorar, uma ultrassonografia recheada de boas notícias e pulos de alegria!

Na segunda-feira, 26 de março, fizemos a segunda ultrassonografia, com 12 semanas e 1 dia. Foi emocionante. A ultra durou os 7 minutos mais intensos pra nós até agora. Pela primeira vez vimos o milagrinho como “gente”. Quer dizer, na ultra anterior ele ainda parecia um girino, e só pudemos ver o coraçãozinho bater. Dessa vez pudemos ver além do coração, a cavidade dos olhos, o cérebro, a boca, os dentes, os ossinhos, as mãos, os dedinhos, as perninhas, a bexiga e… o nariz! Ainda estou impressionada com o “osso nasal” dele. Pareceu tão grande! Mas o perfil estava proporcional, apesar de o rosto ainda não estar definido. Bom, Morten tem o nariz um tanto avantajado, mas observo que as crianças aqui nascem com narizes bem pequenos, e eles só ficam grandes mesmo na adolescência. Já vi fotos de Morten em que o nariz dele parece mais com o meu, meio “batatinha”. Crianças de descendência africana já vêm com a fornalha armada. Pouco muda depois do nascimento.

O ginecologista estava bastante ocupado em ver a nuca, o osso nasal e o cérebro porque é nesses pontos que se vêem os indícios de falhas genéticas, como a síndrome de down. Eu não tinha lido sobre isso antes de ir pra ultra, então não sabia o que procurar, e o médico não fez alarde, nem citou a síndrome ou comentou que estava procurando por indícios. Ao final da ultra, quando eu perguntei, bem claramente, ele voltou para mostrar e explicar. Bom, da nuca até a cabeça espera-se ver pouco líquido, espera-se ver o osso nasal e o cérebro sem concentrações de líquido. Com a graça de Deus, o milagrinho tinha uma quantidade mínima de líquido na nuca – menos de 0,5 mm, enquanto uma criança com chance de alteração genética pode apresentar 10mm, por exemplo -, não tinha nenhuma concentração de líquido em torno ou dentro do cérebro, e o osso nasal estava lá – enquanto crianças com alterações não têm o osso nasal na 12a semana, elas têm o rosto “chato”.

A possibilidade de alteração genética me ocorreu no meio da noite anterior à ultra. Me perguntei como reagiria, como seria pra mim ouvir do médico que meu milagrinho poderia apresentar alguma alteração cromossômica. Acho que precisaria de acompanhamento psicológico, não porque tenho medo do que as pessoas vão pensar de mim, mas teria medo e me sentiria culpada por trazer ao mundo uma criança que, por mais que eu a protegesse, sofreria com a maldade dos outros. Aqui na Noruega, crianças com síndrome de down por exemplo, dependendo do nível de comprometimento cognitivo, vivem como todo mundo. Elas não se escondem. E como qualquer um, saem de casa, trabalham e vão viver suas vidas, independente dos pais. Mas também sofrem. Nos últimos meses uma atriz que tem síndrome de down começou uma campanha para que as pessoas não abortem filhos com alterações cromossômicas como a dela. [O caso é mais complicado do que parece, e está relacionado à um pedido das mulheres para ter uma ultrassonografia gratuita antes da semana 13 – no caso de uma criança que vá morrer no ventre, ou que apresente risco para a mãe ou que tenha síndromes mais sérias, elas querem saber em tempo de fazer o aborto sem que isso prejudique a fertilidade delas e antes que elas se apeguem ao bebê. Hoje só temos direito a ultrassonografia gratuita na semana 19, e aí, muitas vezes, já é tarde, e elas têm menos tempo de pensar e decidir se levam a gravidez a diante ou abortam. Ao mesmo tempo, uma adolescente que engravida e não quer ter o filho – seja ele saudável ou não -, pode, até a semana 13, ir ao médico e fazer um aborto.] Um aborto nunca passou pela minha cabeça, a menos que fosse necessário por questões médicas. Mas não seria fácil ouvir nenhum dos dois “vereditos” do médico. Perguntei à Morten se ele tinha pensado sobre isso em algum momento. Ele disse que sim, por 5 segundos antes de dormir, mas que isso não seria problema :-).

Bom, com a graça de Deus, o milagrinho não apresenta indícios de alterações cromossômicas, se mexeu bastante durante a ultra e está bem maior do que da última vez. Antes media pouco mais de 1 centímetro, agora já mede 6. Esperávamos que ele medisse em torno de 5. Aí pensei: Oooops, e ele só tem uma porta de saída, espero que não fique muito grande! Kkkkkkkk coitada de mim! Tão pequena… Mas Morten é grande, tem ossos grandes e nasceu com quase 4 kg. Uffa!

Mas foi engraçado. O médico não sabia o que fazer. Eu só ria olhando a tela e perguntava o tempo todo “tá vendo?” pra Morten, que respondia impaciente “tô, tô!” O médico começava a explicar uma coisa, o bebê pulava e ele tinha que começar de novo. Enquanto ele explicava, Morten interrompia com um trilhão de perguntas, e às vezes não ouvia a resposta porque eu perguntava se ele estava vendo. O médico tinha que explicar de novo… foi divertido.

Eu fiz uma edição do vídeo da ultra. Gravamos com o iPod, mas estávamos ocupados curtindo a ultra, então a gravação ficou meio “marro-meno”. O vídeo está no youtube, ao som de “Moves like Jagger” (se mexe como (Mick) Jagger) do Maroon 5 com a Christina Aguilera.

Ah, e não vimos o sexo! O médico nem tentou. Ele se mexeu bastante e as pernas até estavam abertas o tempo todo, mas viradas para trás. O médico disse que ficava com medo de dar palpite e estar errado, então preferiu nem tentar ver. Só vimos a bundinha numa hora em que ele se virou de costas.

A próxima ultra é dia 15 de maio. Ela é a toda poderosa que vai definir a data prevista do parto baseada nas medidas do bebê, e aí, não tem erro. Se virmos um pintinho é menino, se virmos uma baratinha é menina, e ponto final. Nada de dúvidas. E Morten não quer fazer outra ultra só pra ver o sexo no mês que vem.

Então, para a família Mesquita de plantão, podem começar suas apostas no bolão. Dia 15 de maio sai o resultado. Pelo que sei, estão “Todos contra um”. Todos acham que é menino, e só Fight acha que é menina… Quem dá mais??? Ah, e não podemos ignorar que Dudão acha que são dois! Kkkkkkkk

E aqui vão também as fotos da semana. Infelizmente a barriga tem duas “bolas” hoje, a de baixo é o bebê, a de cima é meu café da manhã que leva no mínimo duas horas pra ser digerido. Kkkkkkkk

3 pensamentos sobre “Enfim, segundo trimestre!

  1. Tô impressionada como sua barriga estrá crescendo rápido…rs. Toma cuidado msmo, pois só tem uma saída e, como aí as tentativas são sempre de um parto normal, vc vai sofrer….. kkkkk. Mas é o melhor msmo… Cesária, nem pensar…rs.

    Tô ansiosa tb pelo dia 15 de maio…. acho q levo essa bolada sozinha….rs.

    • Nem tá tão grande, Fight. Não inventa moda, não. Como disse, essa foto foi tirada depois de comer. Aí a barriga fica imensa, mas é só pq a digestão é lenta, quase dando marcha à ré. E infelizmente não posso controlar o tamanho da criança, só posso orar e pedir à Deus um bom parto, sem complicações.
      Dá uma olhada no último posto do blog de Morten, lá ele tem uma foto mais recente e mais fidedigna da minha barriga, antes do café da manhã. Kkkkkkkk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s