Arquivo de Tag | Sono solitário

“Socorro! Meu filho não dorme a noite inteira!”

E nunca vai dormir.

Desculpe, mas essa é a mais pura verdade.

Se você é mãe ou pai e veio parar aqui depois de muitas noites mal ou não dormidas, e está buscando uma forma de fazer com que seu bebê deixe você pregar os olhos por umas horinhas, continue lendo. Não ofereço panacéia, mas uma opção que vale a tentativa.

Ninguém, absolutamente ninguém, dorme “a noite inteira”. Nem você. A grosso modo podemos explicar assim: O sono é dividido em fases e essas fases são entremeadas por momentos de desperte. O conjunto de fases forma um ciclo. A gente acorda, muda de posição, soca o travesseiro, puxa o cobertor, procura o companheiro(a), vai ao banheiro, bebe um copo d’água, ou simplesmente volta a dormir. O sono dos bebês é muito similar  ao sono dos adultos, mas as fases são mais curtas e eles devem se manter no sono leve tanto quanto possível. E os ciclos duram em média 45 minutos se me lembro bem. Para eles, os momentos de excitação, ou desperte, tem um componente preventivo: eles evitam a tão temida morte súbita.

Mas todo mundo fala em bebês que “dormem a noite inteira”. Sim, há bebês que cedo não acordam ninguém, apesar de terem os momentos de desperte. Mas esses são exceção, não regra. Quando o bebê acorda, outras necessidades podem se apresentar: fome, frio, sensação de humidade na fralda, medo, solidão, ou necessidade de reconexão com o cuidador entre outras. Se o bebê acorda e se vê sozinho, seu instinto é chamar o cuidador. Sua única garantia de sobrevivência. Logo, “abre o berreiro”, sua única forma de comunicação. Os pais, estando em outro cômodo, precisam despertar totalmente para atender ao chamado do bebê. E assim começa a saga dos pais exaustos e bebês idem.

Mas por quê cargas d’água a gente coloca os bebês para dormir sozinhos mesmo, hein? Bom, me parece que essa é uma idéia de jerico bem moderna. Coisa do individualismo ocidental. “Cada um por si, Deus por todos”, etc. Mas nós somos pais e queremos o melhor pros nossos guris. Bom, pais exaustos não se encaixam muito bem na minha idéia de “melhor pros filhos”. Pais precisam dormir. Claro que nem todo mundo consegue escapar de bebês com cólica, ou bebês com febre, resfriadinhos etc. Mas se o bebê está e é saudável, os pais devem buscar seu descanso para que estejam prontos pra aguentar o dia com uma criança pequena – e também as noites conturbadas por doenças, picos e saltos.

Mas e daí?

Eu sugiro que você durma! Durma! Mas durma com seu bebê! Isso mesmo! Dê uma de João-sem-braço, finja que nunca ouviu recomendações de colocar seu bebê pra dormir na caminha dele, no quartinho dele. A vida não é um comercial de margarina. Tanto o comercial quanto a margarina são falsos. No mundo real o buraco é muito mais embaixo. Mas você idealizou seu bebê, e junto idealizou o quartinho. Um berço lindo, paredes com cores frias e calmantes, guirlandas, lâmpadas, travesseirinhos, ursinhos… Tudo tão perfeito… Mas a vida não é perfeita e os bebês saem de dentro da gente sem manual de instruções. De que adianta um quartinho lindo e aconchegante e pais que não conseguem desfrutar da cria nem dos quartos? A exaustão também contribui para as separações dos casais.

Então, durma. Leve seu bebê para a sua cama. Ou para uma cama ao lado da sua. Ou coloque colchões pelo chão do quarto e durmam juntos. Compartilhe o sono com seu bebê. O sono compartilhado contribui e facilita a amamentação, que por sua vez, relaxa e induz mamãe e bebê ao sono. Dividir o mesmo quarto torna tanto a mãe quanto o bebê mais conectados. Segundo pesquisas, em 60% dos despertares noturnos, a mãe desperta + ou – 2 segundos depois que o bebê desperta; e nos outros 40%, o bebê desperta + ou – 2 segundos depois que a mãe desperta. Quando você virar para o lado esquerdo, seu bebê também virará. Essa sincronia foi descoberta pelo antropólogo James McKenna, especialista no sono mamãe-bebê da Universidade de Notre Dame. E a sincronia também acontece com o pai. Estando junto da mãe, o bebê se mantém no sono leve por mais tempo, o que também previne a Morte Súbita do Recém-nascido. Ele também mama com mais frequência durante a noite na cama compartilhada, o que regula a produção de leite da mãe.

Co

Num desses dias de luta. Soneca compartilhada.

 

Seu bebê vai continuar acordando durante a noite, assim como você, mas ele não vai precisar te acordar. Algumas vezes você você vai despertar, mas geralmente não acordará totalmente para amamentar. Os bebês crescem e logo acham o seio sem ajuda.

Dormir com seu bebê não é subversivo ou ilegal. Compartilhar o sono é um ato de amor e sobrevivência praticado por toda a humanidade. A exigência de independência noturna praticada no ocidente vai contra nossa natureza e instintos evolutivos. Ainda hoje muitas culturas praticam o sono compartilhado em todos os continentes. Não há nada de primitivo nisso, nem “pobre fazendo pobrice”.

Se alguém me perguntar quantas vezes meus bebês acordam para mamar durante a noite, a resposta é simples: não sei!

Se não tiver coragem de compartilhar o sono noturno na primeira tentativa, experimente durante uma soneca. Leve o bebê para a sua cama, coloque-o no seio e deixe que ele mame até adormecer. E durma junto! Esqueça os afazeres domésticos. Não adianta a casa brilhar, se você estiver um caco. Durma! Durma com ele.

Se tiver amigos ou parentes que se disponham a ajudar, peça que olhem o bebê ou as crianças por uma hora. Tranque-se no quarto e durma!

Experimente!

Se depois da soneca você tomar coragem para compartilhar o sono também durante a noite ou indefinidamente, sugiro que leia este guia de segurança do Dr. McKenna.

Quanto ao sono compartilhado gerar crianças dependentes, sugiro uma busca no google. Esse é assunto para um próximo post. Mas já adianto que existe uma diferença entre dependência e segurança, e que não, a cama compartilhada não gera crianças mais dependentes do que aquelas que dormiram sozinhas em seus quartos. Estudos revelam que crianças seguras são mais independentes.

E considere que a intimidade do casal vai para além do sexo na cama. Sugiro que restrinja a cama para o sono e o restante da casa para o resto das atividades do casal. 🙂

Todo bebê merece pais descansados.

Bom descanso!